Fique por dentro dos maiores benefícios da dança na terceira idade

Depois que o envelhecimento chega a um determinado estágio, o corpo e a mente passam por várias mudanças, de modo que surgem algumas limitações físicas. Por isso, é importante continuar a estimular a pessoa idosa a se adaptar a um novo estilo de vida, com práticas que tornam essa fase mais agradável.

O poeta Charles Baudelaire já dizia que, para revelar os mistérios da música, devíamos canalizá-la por meio da dança. Do mesmo modo, podemos encarar os benefícios da dança na terceira idade como uma forma de revelar os mistérios do envelhecimento sem sofrimentos, melhorando sensivelmente o bem-estar e a qualidade de vida de quem amamos.

Entre os principais tipos de dança indicados para idosos, estão a dança de salão e o bolero, por exemplo. Contudo, é possível inovar e encontrar outras modalidades que favoreçam o envelhecimento saudável — até mesmo para quem utiliza andador. Além de ser uma distração prazerosa, a atividade física em questão colabora com vários benefícios. Confira a seguir os principais!

Reabilitação de movimentos

É comum que, na terceira idade, surjam vários problemas de saúde, principalmente relacionados ao sedentarismo. Afinal, a pessoa vai perdendo naturalmente a mobilidade e acaba atrofiando alguns movimentos.

A dança faz com que os idosos voltem a se exercitar sem pressão, reabilitando seus movimentos com atividades que geram prazer, mantêm o indivíduo ativo e devolvem a resistência para várias tarefas do dia a dia.

A dança, dessa maneira, é considerada uma atividade de impacto, que estimula o corpo a um esforço razoável, pedindo mais do sistema respiratório. Portanto, com a prática frequente, a pessoa restabelece, aos poucos, a sua resistência e melhora consideravelmente sua respiração, mantendo a circulação sanguínea e o coração mais saudáveis.

Uma pesquisa feita pela Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, por exemplo, mostra os benefícios da dança na terceira idade para pessoas que sofrem de Parkinson. A ferramenta terapêutica ajudou os pacientes a reduzirem a incidência de quedas e a fortalecerem o tônus muscular, entre outros processos cognitivos, como atenção e memória — sem contar a melhoria dos movimentos em ritmo, velocidade e flexibilidade.

Mais equilíbrio e agilidade e ganho muscular

Com a dança, outra vantagem é a volta do equilíbrio e da agilidade por parte dos praticantes idosos. Com os movimentos das coreografias, eles passam a trabalhar mais a estabilidade motora, ajudando a prevenir até mesmo quedas, que podem acarretar fraturas dolorosas e outros prejuízos irreversíveis ao indivíduo.

Somado a isso, o aumento do tônus e da massa muscular também é outro fator positivo, já que a idade traz alguns problemas hormonais que podem acelerar essa perda naturalmente. Logo, a dança devolve uma porcentagem dessa força ao idoso, que passa a viver com mais autoconfiança, autonomia e segurança.

Melhor coordenação motora

A prática da dança também influencia diretamente a coordenação motora dos idosos, já que estimula a movimentação do corpo todo. Contudo, um fator que se destaca é a melhoria na coordenação viso-motora — a coordenação ligada aos movimentos que são orientados pela visão e que está associada a outras habilidades, como as das mãos e dos pés.

Mais autoestima e convívio social

Quando a pessoa idosa passa a frequentar aulas de dança, ela volta a se sentir parte de um grupo, algo que se perde com a terceira idade. Isso porque, com o envelhecimento, o idoso tende a se sentir isolado, solitário ou abandonado, sentimentos que acarretam, inclusive, determinados problemas, como depressão.

Nesse sentido, com a participação em atividades coletivas, a socialização volta a estimular o convívio social, melhorando a autoestima da pessoa, que passa a se sentir capaz novamente. De quebra, o indivíduo vai ter a chance de fazer novos amigos e encontrar, mais uma vez, novos propósitos de vida.

Promoção do bem-estar físico e emocional

Ainda sobre os quadros depressivos, que também podem envolver ansiedade e estresse, a dança ajuda no restabelecimento das faculdades mentais, pois a prática física conduz o corpo a produzir mais serotonina, dopamina e doenfordina — os hormônios responsáveis pelo humor e pelo prazer.

Com todos esses processos químicos acontecendo dentro do organismo, somados ao bem-estar da dança, a atividade acaba afastando pensamentos negativos e inibe os sintomas depressivos, além de colaborar para outras prevenções, como de hipertensão e demais problemas de saúde.

Estímulo à memória

Os passos de uma coreografia, por mais simples que sejam, estimulam o cérebro a pensar nas sequências dos movimentos. Então, além do esforço físico, a pessoa otimiza suas capacidades de memorização. E isso é incrível quando se trata de pessoas na terceira idade!

Além de manter o corpo ativo, uma atitude comprovada cientificamente e que garante um envelhecimento saudável é, de fato, o estímulo da memória. Ela previne doenças, como o Alzheimer, e outros fatores de riscos para a demência, por exemplo.

Andador como instrumento para auxiliar na dança

Até mesmo pessoas que utilizam andadores podem se beneficiar da dança. O andador é um ótimo instrumento para auxiliar nessa atividade física, pois permite mais conforto e segurança ao usuário com mobilidade reduzida.

Por meio da tecnologia assistiva, temos, hoje, modelos de andadores com quatro rodas de tamanhos grandes e com garfos giratórios que proporcionam maior estabilidade e deslocamentos seguros — tudo de que a prática da dança precisa.

Por serem equipamentos compatíveis com ambientes internos e externos, os condutores têm a liberdade de controlar mais seus movimentos, com sistemas de freios e, até mesmo, de estacionamento. Também há controle de velocidade e fechamento facilitados para acomodar o item em um carro, por exemplo, enquanto o idoso está a caminho da sua aula de dança.

Se o idoso tem mobilidade reduzida, isso não será um empecilho para que ele desfrute dos benefícios da dança na terceira idade. Os andadores da Freedom são desenvolvidos com quatro pontos de contato com o solo e dão todo o equilíbrio de que o condutor precisa para se deslocar no dia a dia e dançar em suas aulas.

Chegamos até o final deste artigo, mas ainda temos mais informações relacionadas para você. Saiba mais sobre a qualidade de vida na terceira idade e sobre as principais questões acerca do assunto!

Receba novos conteúdos toda semana por e-mail!

É só cadastrar seu e-mail!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.