A importância do Andador na prevenção de quedas

As quedas são um problema recorrente aos idosos, e uma das principais causas de lesões e perda de independência entre pessoas com mais de 65 anos. Segundo estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, cerca de 30% dos idosos caem pelo menos uma vez ao ano. Esse tipo de acidente é preocupante, pois com a diminuição da massa muscular e óssea que acontece no envelhecimento, as quedas podem resultar em fraturas e na perda funcional de longo prazo.

Para evitar problemas como esses, existem os Dispositivos Auxiliares de Marcha (DAM): bengalas, muletas e andadores, sendo o andador o tipo de dispositivo mais seguro, por proporcionar maior área de apoio e estabilidade. Porém, para que esse equipamento seja realmente efetivo, é necessário que o usuário saiba escolhê-lo e utilizá-lo. É muito importante buscar a ajuda de um profissional capacitado na hora de escolher esses produtos.

Esse texto tem como objetivo esclarecer alguns itens que devem ser levados em conta na hora de comprar um DAM. Continue a leitura!

Por que escolher o Andador?

Não existem equipamentos que abranjam as necessidades de todas as pessoas, o DAM ideal sempre irá depender do grau de comprometimento da mobilidade do usuário. Por isso, o diagnóstico de um profissional capacitado é indispensável. De toda forma, o andador sempre apresentará vantagens em relação aos demais dispositivos por ser mais completo e seguro.

Em comparação com a bengala ou a muleta, o andador possui maior área de apoio e uma estrutura que permite mais estabilidade do equipamento. O usuário, ao caminhar, não precisa apoiar o peso do corpo em um dos membros, como acontece com a bengala, fazendo com que o deslocamento seja mais facilitado. Além de possuir mais vantagens, que variam conforme o modelo de fabricação, podendo possuir apoio para cargas (como bolsas, sacolas, etc) e assento de descanso.

A estrutura do andador possui três ou quatro pontos de contato com o solo e uma base de suporte que proporciona mais segurança no caminhar. Assim, com os exercícios locomotores de sustentação parcial do peso, os usuários obtêm resultados positivos no equilíbrio (tanto estático, quanto dinâmico) e facilitam a correção dos movimentos de caminhada. Outro benefício do suporte do corpo são os efeitos psicológicos na redução do medo da queda.

Principais parâmetros para a escolha do Andador

A escolha do equipamento que fará parte de uma atividade tão importante, como o caminhar, deve ser feita de forma minuciosa. O equipamento deve ser completamente adaptado para o usuário, a fim de garantir que não aconteçam desgastes que possam causar complicações futuras, como problemas posturais.

Por isso, não é recomendado o uso de equipamentos emprestados ou reaproveitados de outras pessoas. Lembre-se sempre que cada pessoa possui necessidades diferentes, e que os DAMs precisam corresponder com as demandas do seu cotidiano. Preste sempre atenção nas seguintes características:

Altura das Alças de Freio

A Altura das Alças de Freio é o principal item a ser observado, pois corresponde ao local de apoio das mãos e, consequentemente, à altura do equipamento. Em geral, os andadores com rodas possuem regulagem de altura, porém nem sempre essa adaptação é suficiente para atingir as medidas necessárias (isso tanto para mais baixo como para mais alto).

Por isso é importante saber realizar a medição do corpo: para que na escolha da Altura das Alças de Freio, o usuário saiba qual medida é ideal para sua estatura. Para pessoas de até 1,60 m, é indicado o andador P. E o andador M, para pessoas de até 1,80 m. Já pessoas com mais de 1,80 m, o ideal é o andador G.

Nos andadores da Freedom, o modelo P tem variação de altura de 76,5 a 85,5 cm, e o modelo G de 87,5 a 99,5 cm, sendo que o modelo Walker Plus possui sete posições de regulagem, já o modelo Walker possui quatro.

Altura do assento

O assento é um dos acessórios mais importantes de um andador, ele permite que o usuário tenha a oportunidade de sentar-se em qualquer lugar, podendo descansar em meio aos percursos. A altura certa dessa peça é necessária para que a pessoa não tenha dificuldade ao levantar.

A medição dessa peça deve ser feita levando em conta o usuário sentado: O ângulo no joelho deve ficar acima de 120 graus.

A Freedom, por exemplo, oferece três alturas de assento nos modelos P, M ou G, variando entre 48 e 61 cm.

Tamanho da passada

Dependendo da força do usuário, a rapidez com que ele caminha varia. Assim, é importante que o andador acompanhe esse ritmo de passada. Para pessoas com maior independência o ideal é um andador que possibilite um deslocamento seguro e mais rápido, isso é obtido com a passada maior.

Essa é uma das diferenças entre os modelos de andadores da Freedom. O andador Walker Plus possibilita maior passada em relação ao Walker, como demonstrado no vídeo abaixo:

Essas são apenas algumas dicas para auxiliar na escolha do andador. Depois de encontrar o equipamento ideal, é importante manter a sua manutenção, para que ele continue a ser efetivo. Por isso, sempre tenha atenção para possíveis desgastes, tanto do dispositivo (como pequenos danos ou possíveis falhas) quanto do usuário (como dores ou falta de força nos membros superiores).

Com o equipamento adequado e sendo utilizado da maneira correta, a aderência ao DAM acontece mais facilmente. Assim, quem tem mobilidade reduzida pode realizar suas atividades com melhor desempenho e tranquilidade, sabendo que não corre risco de quedas.

Saiba mais sobre as possibilidades oferecidas nos Andadores Freedom acessando nosso site!

Receba nossos conteúdos por e-mail e amplie seus horizontes!

É só cadastrar seu e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.