Descubra porque a socialização na terceira idade é tão importante

Nos últimos anos, o aumento do número de idosos no Brasil levantou questões relevantes, como a importância da socialização na terceira idade. Muitas pessoas não consideram esse tema relevante, pois os enxergam como alguém dependente e sem possibilidades. 

Sob essa perspectiva, muitas pessoas tendem a se isolar após os 60 anos, evitando sair de casa, o que aumenta os riscos de depressão e o sentimento de desvalorização. Por esses motivos, incentivar a socialização do idoso e vencer certos preconceitos são fundamentais para que eles vivam esse momento com mais felicidade e qualidade de vida. 

A velhice não deve ser vista como uma fase de limitações, mas de descobertas. Por isso, neste artigo, falaremos sobre a importância da socialização na terceira idade. Continue a leitura e confira! 

Recuperação da vida social 

Fazer novas amizades é uma das principais vantagens da socialização na terceira idade. Após a aposentadoria, a maioria das pessoas nessa faixa etária perde o contato com os colegas de trabalho e deixam de frequentar os locais que costumava ir. Isso pode trazer um sentimento de solidão, fazendo com que fiquem cada vez mais introspectivas. 

A situação é ainda pior para aqueles que moram sozinhos, pois acabam acostumando a ficar sempre em casa dormindo ou vendo televisão. Por esse motivo, a socialização do idoso é muito importante. Sair para passear, ir ao parque e clubes, fazer atividades coletivas ou se encontrar com a família e amigos é fundamental para se manter ativo. 

Além disso, ao fazer parte de grupos de convivências, eles fazem novas amizades e podem compartilhar suas tristezas, alegrias e trocar experiências. Criar esses vínculos sociais garante o bem-estar e melhora da qualidade de vida. 

Contato com outras pessoas 

O convívio com outras pessoas é fundamental para que o ser humano possa ter uma vida plena. Garantir que o idoso mantenha o convívio com a família e com amigos é essencial para que ele tenha uma saúde melhor, bom humor e felicidade. 

Fazer atividades fora de casa, como hidroginástica, pilates, atividades físicas ou, até mesmo, voluntariado são ótimas maneiras de conhecer novas pessoas e aumentar o círculo social. Estar engajado socialmente e em contato com outras pessoas aumenta o significado da vida e possibilita um envelhecer mais saudável e feliz. 

Muito mais bem-estar 

A socialização na terceira idade reflete muito no bem-estar do idoso. Com o passar da idade e os filhos saindo de casa, é normal que eles se sintam sozinhos e deprimidos. Além do mais, com esses sentimentos, eles podem ainda perder o interesse em fazer as atividades que antes tinham prazer em realizar. 

Contudo, com a socialização e convívio social constante, a pessoa se sente mais feliz e realizada — como mencionamos, somos seres sociáveis. A socialização do idoso também melhora sua autoestima e dá mais alegria de viver. 

Conviver com os netos, com a família e amigos, além de trazer vários benefícios ao seu psicológico, reduz os níveis de ansiedade e estresse, o que reflete positivamente em sua saúde física

Diminuir os níveis de preocupação e estresse ainda contribui para a redução da pressão sanguínea, o que faz cair as chances de problemas cardiovasculares. Ou seja, a socialização na terceira idade só traz benefícios. 

Melhora da saúde mental 

O envelhecer está associado com diversas doenças neurológicas e degenerativas, como Alzheimer, Parkinson e demências. Além disso, o índice de depressão em idosos é algo preocupante. Para aqueles que moram com a família, cerca de 15% apresentam sintomas depressivos. Esse número dobra em casas de repouso e pode chegar a 50% em pessoas hospitalizadas. 

Por isso, a saúde mental é algo que deve ser levada a sério e merece uma atenção especial. Ficar em casa, sem exercitar o cérebro e a memória, contribui para a perda da capacidade mental.

Sendo assim, participar de atividades em grupo, conversar e discutir são atividades importantes para manter os aspectos cognitivos em dia. Além do mais, se reunir com amigos para jogos estimulantes como xadrez, dama e baralho são excelentes maneiras de estimular a memória e a atenção.  

Mais autonomia 

A solidão, como mencionamos, é uma das causas que favorecem a introspecção. No entanto, nada é tão desestimulante quanto a perda da independência e autonomia. É normal que os filhos se preocupem com os pais e tentem evitar qualquer risco de acidentes. Com isso, impedem que o idoso saia sozinho ou tome qualquer decisão sobre a vida.

Esse cuidado é importante, mas pode retirar a sua autonomia e fazer com que ele tenha receio de fazer certas atividades novamente. Assim, a socialização do idoso é muito benéfica nesse ponto, pois o estimula a retomar o controle da sua vida.

Sem mencionar que essa é uma ótima oportunidade para proporcionar mais segurança e confiança para voltar fazer coisas do cotidiano, como ir ao médico ou ao supermercado, sozinhos. 

Melhora a saúde 

A socialização na terceira idade é um dos principais fatores que mais estimulam os idosos a praticarem exercícios físicos e a terem uma vida mais saudável. Ao fazer parte de um grupo e estar em contato com amigos que passem pelas mesmas condições, o estímulo para se exercitar é muito maior. 

A prática de atividades físicas é importante em qualquer idade, mas depois dos 60 anos é ainda mais fundamental. Isso porque a movimentação ajuda a retardar o envelhecimento, melhorar o sistema imunológico, evitar a obesidade e o sedentarismo, além de otimizar dores nas articulações. 

Por esses motivos, a mobilização e socialização do idoso são importantes para que ele desfrute de uma saúde cada vez melhor, junto de condicionamento físico, flexibilidade, equilíbrio e força muscular. 

Além de tudo isso, a socialização na terceira idade e a mobilidade possibilitam muitos outros benefícios, como: 

  • combate à depressão; 
  • melhora no humor; 
  • redução do estresse e da ansiedade; 
  • melhora do condicionamento físico e cardiorrespiratório; 
  • aumento da autoestima e a autoconfiança; 
  • controle da obesidade; 
  • melhora da qualidade de vida. 

Por fim, o papel da família é essencial para estimular a socialização na terceira idade. E caso o idoso tenha mobilidade reduzida, não pense que isso é um empecilho para que ele saia e se conecte com o mundo.  

Para esses casos, os familiares podem presenteá-los com cadeiras de rodas motorizadas, que permitem a locomoção em vários tipos de terrenos. Uma outra opção são os scooters elétricos, pois proporcionam muito mais liberdade e independência para que possam ir onde tiverem vontade.

Ter mobilidade é um requisito fundamental para a socialização na terceira idade, pois permite que o indivíduo fique conectado com tudo o que acontece em sua volta. Por isso, nunca deixe de estimular atividades que ajudam na socialização do idoso.

Agora que você entendeu a importância de socializar mesmo após a terceira idade, leia também nosso post sobre os direitos do idoso a mobilidade e fique por dentro desse direito garantido por lei.

Receba nossos conteúdos por e-mail e amplie seus horizontes!

É só cadastrar seu e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.