6 desafios enfrentados pela pessoa com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida

6 desafios enfrentados pela pessoa com mobilidade reduzida

A liberdade de se movimentar é essencial para a pessoa com mobilidade reduzida. Esse é um direito de todo cidadão e deve ser respeitado pelos órgãos públicos, privados, e até mesmo pelas famílias.

Apesar disso, as dificuldades enfrentadas no cotidiano são variadas, como espaços sem acessibilidade, problemas com o transporte público, preconceito, entre outros desafios. Esses fatores prejudicam a qualidade de vida, pois não possibilitam que os eventos sociais sejam confortáveis, tirando a autonomia e liberdade desse público.

Para compreendermos um pouco mais sobre o tema, mostraremos 6 desafios enfrentados pela pessoa com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida. Confira os principais problemas!

1. Acesso ao transporte público

A Constituição garante a todo cidadão o direito de ir e vir. Entretanto, essa não é uma tarefa fácil para a pessoa com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida. Sem dúvidas, o transporte público é um dos principais desafios que precisa ser enfrentado.

A primeira dificuldade está nas cidades que não contam com ônibus ou veículos adaptados para receber pessoas em cadeiras de rodas. Esse número é cada vez menor, entretanto, o problema ainda existe em determinados locais.

As cidades que oferecem veículos adaptados para o transporte contribuem nesse ponto, porém, não resolvem os problemas. Isso porque, às vezes, é preciso aguardar por longos períodos pelo ônibus adaptado, além de ser comum lidar com motoristas mal treinados e passageiros impacientes em ter que esperar a subida no veículo.

Desse modo, ainda são necessários mais investimentos públicos para que o sistema de transporte coletivo seja acessível. É possível pensar em veículos com piso mais baixo, nos quais a utilização dos elevadores não é obrigatória, facilitando a rotina dos motoristas e de quem precisa desse recurso.

2. Movimentação em locais públicos e privados

O transporte não é o único desafio durante a movimentação das pessoas com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida. O acesso é outro problema comum, pois, restaurantes, lojas e outros estabelecimentos nem sempre são adaptados para receber esse público.

Entre as dificuldades estão a falta de rampas, banheiros pequenos e sem adaptação, e a dificuldade para circular entre os móveis. Todos esses aspectos tornam a experiência frustrante, diminuindo a vontade de participar de eventos fora de casa e que possam oferecer algum incômodo.

Outro desafio é andar e passear pelas calçadas das cidades. A maioria delas não é acessível, sendo bastante normal encontrar pisos escorregadios, desníveis, postes que impedem a passagem, entre outros problemas. Esses elementos dificultam a locomoção comum, tornando essa atividade perigosa e, em alguns casos, impossível de ser realizada.

3. Locomoção dentro de casa

Os desafios não se limitam aos ambientes externos, pois a locomoção dentro de cada também pode trazer alguns problemas, principalmente em locais com escadas e com mais de um pavimento. Ambientes muito pequenos também podem trazer dificuldades, visto que passar com cadeiras ou outros equipamentos não será fácil.

As casas devem ser adaptadas para tornar a vida das pessoas com deficiência de locomoção ou mobilidade reduzida mais fácil. É possível, por exemplo, aumentar a largura das portas, instalar corrimões nos banheiros e arrumar os móveis de maneira que deixe o espaço aberto para a movimentação.

Além disso, existem novas tecnologias que podem ser aproveitadas em atividades do cotidiano, como os elevadores de acessibilidade ou os aparelhos de transferência. São diversos modelos disponíveis, facilitando a adaptação mesmo em casas já construídas e melhorando a qualidade de vida de quem precisa.

4. Disponibilidade nos estacionamentos

Os estacionamentos também são relevantes e podem trazer problemas para a pessoa com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida. A falta de vagas preferenciais regulares e nos locais corretos, dificultam a realização de tarefas simples do cotidiano, como ir ao supermercado, ao médico, às farmácias, entre outros lugares.

Nem todos os estabelecimentos seguem a lei de colocar as vagas destinadas ao público PCD próximas à entrada. Além disso, outros consumidores não respeitam a existência desses locais reservados, tomando a vaga de quem realmente precisa.

Mesmo que a pessoa esteja acompanhada por um motorista ou passageiro, a distância para a entrada não é aconselhável. É importante lembrar que para ter o direito de estacionar nessa vaga, é preciso se cadastrar no Detran local e identificar o carro com um adesivo próprio.

5. Preconceito e desrespeito à legislação

O preconceito é outro desafio que precisa ser diariamente combatido por quem tem dificuldade de locomoção ou mobilidade reduzida. Além dos obstáculos normais de movimentação e transporte, algumas atitudes e comportamentos prejudicam a qualidade de vida de quem sofre com alguma dessas dificuldades.

Atitudes como carros estacionados em frente às rampas de acesso ou em vagas destinadas às pessoas com deficiência são exemplos de ações desrespeitosas a esse público. Além disso, essa também é uma forma de não respeitar a lei, pois tal prática é considerada uma infração grave no código de trânsito.

6. Dificuldade de inserção no mercado de trabalho

Além dos aspectos já citados, também existe a dificuldade de inserção no mercado de trabalho. Grande parte das empresas não tem uma estrutura adequada para receber colaboradores com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida, sendo que esse tipo de contratação se torna cada vez mais rara.

A Lei n. 13.146/2015, denominada como Lei de Inclusão, veio para ajudar nesse contexto. O objetivo é combater o preconceito e aumentar o nível de acessibilidade das pessoas com deficiência nos locais de trabalho.

Algumas empresas tentam diminuir esse preconceito, estabelecendo programas de inclusão e aumentando o número de vagas para profissionais com deficiência. Além desses recursos, também existem sites que procuram ajudar nesse processo de inserção no mercado de trabalho, oferecendo oportunidades para o público PCD.

Neste artigo, mostramos quais são os principais desafios enfrentados pela pessoa com deficiência de locomoção e mobilidade reduzida. Ainda que não resolva todos os problemas, o uso de uma boa cadeira de rodas ajuda a superar as dificuldades do cotidiano. Portanto, o investimento nesse equipamento é fundamental para trazer mais autonomia e melhorar a qualidade de vida.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre este tema? Então, aproveite para entrar em contato conosco e saiba como nossos equipamentos contribuem para o cotidiano e uma vida com mais qualidade!

Receba nossos conteúdos por e-mail e amplie seus horizontes!

É só cadastrar seu e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.