mulher cadeirante usa máscara contra impactos da pandemia

Impactos da pandemia: como a Covid-19 afetou a rotina de PcDs

Os impactos da pandemia de covid-19 afetaram a vida de todos de diferentes maneiras. A nova realidade, que inclui o uso de máscaras, álcool em gel, atenção à higiene e ao isolamento social, trouxe muitas mudanças e cuidados com idosos e pessoas com a mobilidade reduzida.

Principalmente para as pessoas com deficiência, que precisam enfrentar as diversas barreiras na luta pela inclusão e na busca pela qualidade de vida. Questões como o atendimento à saúde, acesso ao trabalho e à educação passaram a demandar mais resiliência.

Ainda não é possível ter uma ideia real do tamanho dos impactos da pandemia para as pessoas com deficiência, mas é possível notar com clareza como esse cenário afetou o atendimento para este grupo, que depende do sistema de saúde para ter acesso a tratamentos e terapias.

Sendo assim, percebemos o quanto a pandemia de Covid-19 alterou a rotina e os cuidados para estes indivíduos, provocando até a interrupção de atendimentos. Por isso, achamos importante trazer este assunto para o blog da Freedom.

Então, siga a leitura e entenda como a pandemia de Covid-19 impactou a qualidade de vida das pessoas com deficiência!

Como os impactos da pandemia afetaram a saúde das pessoas com deficiência

Com a pandemia de Covid-19, o acesso aos cuidados de saúde foi drasticamente afetado. Para pessoas com deficiência, processos de reabilitação e autonomia foram diretamente comprometidos.

Em momentos mais críticos da pandemia, o sistema de saúde entrou em colapso. Por isso, muitos locais de atendimento para recuperação e reabilitação interromperam seus serviços por tempo indeterminado.

Da mesma forma, os desafios diários que muitos indivíduos com deficiência enfrentam ao conviver com a Covid-19 incluem:

Incapacidade de utilizar máscaras devido a riscos à própria condição de saúde

Algumas pessoas podem não ser capazes de utilizar máscaras recomendadas pela OMS, devido a alguma deficiência ou condição de saúde específica.

Em alguns casos, para pessoas com deficiência, a máscara facial padrão pode causar:

  • Comprometimento da capacidade de respiração.
  • Sintomas relacionados ao transtorno de estresse pós-traumático.
  • Sobrecarga sensorial.
  • Sensação de pânico ou ansiedade extrema.
  • Uma barreira de comunicação ao impedir a leitura labial.

Ter que obedecer a políticas de assistência médica que excluem pessoas de apoio

No início da pandemia, em alguns países, havia inconsistência na implementação de políticas que permitiam que pessoas de apoio acompanhassem pacientes com deficiência. Como resultado, muitos tiveram o atendimento negado ou sofreram impactos adversos por não ter um cuidador para acompanhá-los.

Falta de acessibilidade ao atendimento online

Devido ao isolamento social, muitos locais de atendimento à saúde mantiveram seus serviços de forma on-line. Contudo, nem todas plataformas são acessíveis para que cegos ou pessoas com alguma dificuldade visual possam utilizar com eficiência, como leitores de tela.

Para aqueles com atrasos cognitivos, as ferramentas podem ser difíceis de navegar; para surdos ou pessoas com deficiência auditiva, o acesso às informações por meio de intérpretes ou legendagem pode não estar disponível.

A essa altura, em tempos de telemedicina e isolamento social, a acessibilidade digital nos sites não se trata de um diferencial, mas de um padrão de respeito a todos os usuários.

Falta de acesso aos locais de teste para Covid-19

Para algumas pessoas que são incapazes de viajar independentemente, conseguir um transporte seguro para um local de teste pode ser quase impossível.

Interrupção dos programas de reabilitação e inclusão

Com as medidas de isolamento social, muitos programas de reabilitação para pessoas com deficiência tiveram que interromper seus atendimentos por tempo indeterminado.

Devido à falta de terapias alternativas que promovem a autonomia, muitas pessoas tiveram a qualidade de vida afetada. No entanto, esses serviços são essenciais para recuperação e a saúde, além de colaborarem para a normalidade do convívio com a deficiência.

Efeitos do isolamento social

O isolamento social continua sendo um dos meios mais importantes para conter a propagação da Covid-19. Possivelmente é a mudança que mais impactou a vida das pessoas. As consequências de isolar-se são muitas, desde a saudade da família e amigos, até sentimentos de ansiedade e insegurança que podem levar à depressão.

Mas para pessoas com deficiência, que necessitam de apoio diário, por exemplo, esse impacto está sendo ainda maior. As consequências negativas resultantes do distanciamento social englobam questões como a dificuldade para aqueles que precisam de assistência extra ou de um cuidador, que convivem com deficiências físicas e sensoriais que buscam acomodação e para aqueles com problemas de saúde mental lutando isoladamente.

Para pessoas com deficiência intelectual, os impactos causados pela pandemia ultrapassam questões de saúde. A diminuição do convívio social e comunitário, por exemplo, devido ao distanciamento social, impõe grandes desafios ao desenvolvimento dessas pessoas como um todo.

Estudo aponta os impactos da pandemia em relação ao isolamento social em pessoas com deficiências intelectuais

Um estudo publicado em março de 2021 no The New England Journal of Medicine, da Massachusetts Medical Society, nos Estados Unidos, avaliou 64 milhões de pacientes, 128 mil com deficiências intelectuais, em 547 organizações de saúde, entre janeiro de 2019 e novembro de 2020, e apontou o impacto devastador da Covid-19 em pessoas com deficiência intelectual.

Os pesquisadores explicaram que o risco de exposição dessas pessoas aumenta por fatores que englobam as necessidades diárias de cuidados regulares com apoio domiciliar, transporte compartilhado e até mesmo a residência de habitações de alto contato, como as instituições de longa permanência.

Além disso, pessoas com deficiência intelectual possuem problemas sensoriais que dificultam o uso de máscaras por longos períodos. Para além dos prejuízos cognitivos e dificuldades na comunicação que necessitam de apoio da família ou cuidador diariamente.

Além do risco de contrair a Covid-19, a pandemia trouxe efeitos negativos sobre a capacidade desses indivíduos de receber cuidados de saúde e suporte para o desenvolvimento diário, em que a falta de serviços específicos pode levar ao aumento de problemas comportamentais e ao tratamento com psicotrópicos, que podem causar efeitos colaterais negativos.

Impactos da pandemia no acesso à educação

Na educação, principal área que promove a inclusão das pessoas com deficiência, os alunos também vivenciam os impactos da pandemia, provocados pelo isolamento e as aulas remotas.

A nova realidade trouxe as aulas on-line como alternativa para a educação não parar. Contudo, para alguns alunos, ficar atento por muito tempo em frente ao computador ou celular pode ser um desafio. Isso inclui questões como a falta de apoio em casa e a falta de acessibilidade.

Nas escolas e nas universidades a falta de acessibilidade nas plataformas on-line de ensino também é uma grande questão a ser debatida – o que inclui a falta de legendas ou audiodescrição para alunos com deficiências sensoriais.

Os alunos com deficiência intelectual, por exemplo, possuem dificuldade de assimilar o abstrato e aprendem com mais facilidade por meio de materiais sensoriais e concretos. Ou seja, a experiência presencial é essencial para o desenvolvimento educacional desses alunos, o que a pandemia e as medidas de isolamento afetaram diretamente.

Além disso, estudantes com transtorno do espectro autista formam um grupo muito prejudicado durante a pandemia. Isso porque estes alunos possuem apego à rotina, e, contrariamente, o cenário incerto do retorno das aulas presenciais é uma situação complicada para eles.

Assim, essa realidade reforça a importância de pensar em estratégias para o pós-pandemia, que atendam às necessidades específicas desses alunos reforçando sua inclusão em salas regulares, junto a outros alunos sem deficiência.

Acesso ao mercado de trabalho

Além dos impactos na saúde, as pessoas com deficiência também vivenciam os desafios socioeconômicos que a pandemia trouxe. Crise econômica, oscilações no número de postos de trabalho disponíveis, poucas opções de mobilidade urbana segura e acessível também impactaram na conquista da autonomia para PcDs.

Entre os motivos que afetaram o acesso desses indivíduos ao mercado de trabalho durante a pandemia, podemos citar a questão de que, muitas vezes, essas pessoas não são consideradas essenciais nas empresas e que por isso perdem oportunidades ou têm contratos suspensos em épocas de crise. Além disso, muitos projetos sociais, que auxiliam na inclusão dessas pessoas ao mercado de trabalho, tiveram seus serviços suspensos durante a pandemia.

No entanto, é importante lembrar que a lei nº 8213/91 criou cotas para pessoas com deficiência no Brasil. Assim, empresas com 100 ou mais funcionários, por exemplo, devem ter no total de trabalhadores entre 2% e 5% de pessoas com deficiência. Entretanto, na pandemia, a diminuição do quadro de funcionários acabou afetando a obrigatoriedade dessas cotas.

Oportunidades durante a pandemia

Se por um lado a pandemia de Covid-19 impactou negativamente o acesso à educação e ao mercado de trabalho, assim como atendimentos presenciais, por outro, trouxe alternativas para aumentar o acesso das pessoas com deficiências nessas áreas. É o caso da tecnologia que, através da internet, tem possibilitado que pessoas possam trabalhar e estudar de casa, ou até receber algum atendimento por meio das chamadas de vídeo.

Se o mundo através das telas já vinha sendo uma realidade, com a pandemia, a vida on-line se intensificou. E, assim como tudo, é preciso aproveitar os benefícios que a nova realidade pode proporcionar.

Por isso, muitos serviços de qualidade começaram a ser on-line, aumentando o acesso de pessoas, de qualquer lugar do mundo, a diferentes recursos que podem ser feitos de casa. Como exemplo, cursos, trabalhos em home office, atendimento com terapeutas, entre muitas outras possibilidades que podem ser acessadas através de um clique.

Importância da vacinação para pessoas com deficiência

Pessoas com deficiência podem ter um risco maior de contrair o vírus e ter agravantes devido à condição. Por isso, é essencial que essas pessoas e seus cuidadores tomem as medidas necessárias para proteger a saúde e bem-estar.

Este ano, o Plano Nacional de Imunização foi atualizado e incluiu pessoas com deficiência – física, sensorial e intelectual – com mais de 18 anos como grupo prioritário. Assim, ampliando o acesso a vacinação para além das deficiências severas, que inicialmente eram as prioridades.

Segundo a Apae Brasil, em nota divulgada no dia 15 de Janeiro de 2021 a atualização foi mais um passo para a conquista da inclusão:

“Para a Apae, as medidas de isolamento social fizeram com que se interrompesse, por tempo indeterminado, os serviços de reabilitação, fundamentais para garantir uma qualidade de vida melhor à essas pessoas. Aquelas que estavam inseridas no mercado formal de trabalho, em sua maioria, permanecem afastadas de seus postos por conta da necessidade de adaptação das medidas sanitárias de contenção do vírus. Todas essas complexidades, somadas à crise financeira e social, tornam múltiplas as vulnerabilidades sociais da pessoa com deficiência, o que justifica a sua inserção entre o público prioritário para vacinação”

Respeito e dignidade

Portanto, como podemos perceber, a pandemia da Covid-19 impactou significativamente a rotina de muitas pessoas com deficiência, interferindo diretamente na autonomia e na busca pela qualidade de vida desses indivíduos, que já enfrentavam barreiras na luta pela inclusão.

A superação dessas barreiras que impedem uma vida de qualidade para muitas pessoas ainda continua e, por isso, é essencial que todos sigam os cuidados de higiene e distanciamento social, assim como o calendário de vacinação, para que a vida possa voltar à normalidade.

Agora que você já sabe sobre os impactos da pandemia na qualidade de vida das pessoas com deficiência, conta para a gente nos comentários como a Covid-19 afetou tua rotina. Aproveita e compartilha esse conteúdo nas redes sociais para que outras pessoas também parem para refletir sobre esse assunto tão importante!  

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.