Projeto Carioca Sobre Rodas: a dança como fator de inclusão

Uma prática que tem se apresentado como uma ótima possibilidade de inclusão para pessoas com deficiência, é a dança. Além de botar em contato direto pessoas com e sem deficiência, ela também é um exercício físico efetivo, que pode melhorar o condicionamento físico das pessoas que vivem em cadeiras de rodas. É por isso que iniciativas como o Projeto Carioca Sobre Rodas, da Escola Carioca de Dança, são importantes socialmente. Conheça:

Projeto Carioca Sobre Rodas

O Projeto Carioca Sobre Rodas integra os cursos ofertados pela Escola Carioca de Dança, localizada no Bairro da Tijuca – Rio de Janeiro. Criado em 2002 pela pentacampeã brasileira de dança esportiva em cadeiras de rodas, Viviane Macedo, o projeto oportuniza a pessoas com deficiência, o acesso gratuito à dança e à prática esportiva.

Apesar de ter seu foco mais voltado a crianças, em Junho de 2018 o projeto também contará com turmas de adultos. São 15 vagas para cadeirantes e 15 vagas para andantes. As aulas acontecerão aos sábados, das 09h às 11h. E para participar, é necessária uma pré-inscrição, que pode ser feita por e-mail (contato@escolacarioca.com.br), por telefone (21 99507-5753), ou na sede da Escola Carioca (Rua Barão de Mesquita, 438 – Tijuca).

O trabalho desenvolvido no Carioca Sobre Rodas visa a real inclusão, colocando pessoas com e sem deficiência em um patamar de equidade na pista de dança. As aulas são ministradas por professoras de dança de salão, formadas na próprias Escola Carioca de Dança, e capacitadas para aula de dança adaptada. As aulas também têm o acompanhamento de uma assistente social, que desenvolve um trabalho com os alunos com deficiência e parentes.

A Fundadora do Projeto – Viviane Macedo

Viviane Macedo teve poliomelite com um ano e meio de idade e ficou com sequelas na perna direita, tendo que usar órtese e muleta para se locomover. Mesmo com suas limitações, ela não abandonou o sonho de virar dançarina e, com o incentivo certo, venceu barreiras. Hoje ela é bailarina, atleta e professora de dança.

Usando uma cadeira de rodas, Viviane conseguiu adaptar estilos de dança para que a prática ficasse viável a ela. As adaptações deram tão certo, que suas habilidades ganharam reconhecimento, e ela chegou ao título de pentacampeã em dança esportiva. Em entrevista para a TV Brasil ela diz que, quando começou, não esperava que fosse chegar tão longe. “Eu não pensei que esse trabalho fosse crescer da forma que ele está crescendo. Isso [o crescimento desse trabalho] para mim, é uma grande satisfação”, relata.

Histórias como essa ajudam a quebrar o paradigma social de que a cadeira de rodas é algo que impossibilita a pessoa de realizar atividades cotidianas. Com a dança adaptada, através da movimentação corporal exigida nessa atividade, o sujeito pode construir uma nova percepção social para sua condição.

Os Benefícios da Dança Adaptada

A dança é um exercício completo, que gera estímulos tanto no âmbito da atividade física, quanto na parte artística da performance. Ela pode ser utilizada com o objetivo de trabalhar não só a força, velocidade, agilidade e flexibilidade do praticante, como também os aspectos cognitivos, e ajudar na socialização, inclusão e expressão corporal dessas pessoas.

Entre os benefícios que a dança, como exercício físico, pode proporcionar, o melhor controle no manejo da cadeira de rodas é um dos mais importantes, afinal, auxilia no desenvolvimento da autonomia dessas pessoas. Aprendendo a realizar uma série de movimentos da dança, a pessoa com deficiência aprende também a movimentar a cadeira de maneira mais livre, e em velocidades diferentes.

Já no âmbito dos benefícios artísticos, os estímulos se dão na capacidade de expressão do praticante e de uma melhor socialização do mesmo. Desenvolvendo sua capacidade interpretativa e expressiva, a pessoa com deficiência tem uma melhora na sua autoconfiança e autoestima, o que auxiliar em seu bem-estar mental.

Claro que, para conseguir alcançar tais benefícios, é necessário o acompanhamento de um especialista que analise a condição da pessoa com deficiência e delimite quais possibilidades de exercícios serão saudáveis.

Sendo praticada do jeito adequado, a dança pode agir como um estimulante na construção da autoestima de seus praticantes, que passam não só a serem visto pelos outros como pessoa autônoma, mas também a ter uma visão própria mais favorável.

Se interessou pelo projeto? Faça sua pré-inscrição no Projeto Carioca Sobre Rodas, as vagas são limitadas!

Receba novos conteúdos toda semana por e-mail!

É só cadastrar seu e-mail!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

    Bonito, mas pra nós ainda não chegou, mas gostei de ver Ok.

    Como andante participante das aulas há 1 ano, nós e que ganhamos , tendo a oportunidade de crescimento em conviver com alunos tão especiais e muitas força de vontade de todos ; familiares e profissionais desta escola .

    Conheço o trabalho da Escola Carioca de Dança e vejo o quanto os alunos se esforçam para aprender e participar, dando tudo de si para conquistar essa integração social. Parabéns aos familiares e profissionais do projeto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.